Salto para o Futuro

Segunda e quarta,
TV Escola - 18h

(Re)Faça

Rio+20 (05/07/2012)

Produzindo vídeos na Rio+20

Introdução

Saímos a campo na Rio+20 com o objetivo de narrar o que estava acontecendo neste encontro mundial, em que o tema central era sustentabilidade, trazendo para o debate o nosso papel diante das questões ecológicas, socioculturais e econômicas do planeta . Para isso, utilizamos algumas ferramentas, tais como: celular, máquina fotográfica e Iphone, para registrar as diversas manifestações sociais, ecológicas e culturais que aconteceram na cidade do Rio de Janeiro, cenário da Rio+20.

Apresentação da proposta
 
1) Fomos ao parque da Quinta da Boa Vista na Green Nation Fest, cidade do Rio de Janeiro, participar das atividades da Rio+20. Utilizamos um celular para gravar imagens das atividades por lá realizadas, assim sendo, gravamos uma simulação de desmoronamento que nos indicava problemas relacionados com as questões climáticas; 2) Também gravamos, por meio de um celular, a fala da professora Terezinha Moreira, consultora das Edições Especiais: Com-Vida: estratégia de governança nas escolas e Questões climáticas e escolas sustentáveis, que nos mostram uma possibilidade de pensar e problematizar as questões ambientais e sua relação com a escola; 3) Após a gravação dos dois vídeos, fizemos uma relação entre ambos, para pensarmos uma proposta pedagógica de trabalho em sala de aula.

Apresentação do vídeo

Visitamos três tendas com simulações de desastres ambientais: na primeira, experimentamos os efeitos do aquecimento sobre as geleiras. Todo o ambiente foi pensado para que tivéssemos a sensação de estar nas geleiras e os sons e imagens de camadas de neve descendo montanha abaixo eram tão reais... Não menos reais eram os sons e movimentos dos animais correndo em busca de abrigo, na simulação de queimada, com as árvores tombando pelo poder do fogo. A terceira tenda nos remeteu a uma situação de enchente. Na simulação, estávamos em uma casa que teve parte de seus cômodos inundada e uma parede caía, deixando à mostra a enxurrada que levava tudo que estivesse à sua frente. A surpresa e até mesmo o susto estavam presentes em vários rostos. Essa foi uma experiência que nos levou a questionar nossas ações, inclusive a forma como nos relacionamos com os bens de consumo (Narrativa da analista Soraia Bruno Coelho).

Proposta de sala de aula

Após a feitura dos vídeos, discutimos como eles poderiam ser utilizados em sala de aula. Dessa forma, entendemos que os mesmos podem ser geradores de um debate para pensarmos questões ambientais, contudo, a proposta pode partir do campo microssocial  para o macrossocial, retornando ao micro. Depois de assistir ao vídeo, o/a professor/a pode relatar como foi o processo de feitura do mesmo, aproximando o aluno do contexto de produção e do conteúdo. Nesse sentido, é aberto um fórum de debates, tomando por base a seguinte questão: como posso transformar/melhorar meu contexto socioambiental? Um sugestivo material de utilização para ampliar esse fórum de debate é a série Espaços educadores sustentáveis, exibida do programa Salto para o Futuro no ano de 2011.


Cultura viva, Escola viva (01/06/2009)

Bonecos Gigantes

Os bonecos são criados a partir da oficina de papel machê realizada na Escola Francisco Barreto Leme, Campinas/SP.

Cabeça do boneco: pegue um saco de lixo e encha com bolinhas de jornal. Após enchê-lo, dê um nó na boca e coloque mais um saco de lixo, e passe diversas camadas de fita. Esse saco será o molde da cabeça do boneco, e deve ficar bem firme. Após passar a fita, revestir com pedaços de papel de revista, jornal e cola (grude). Coloque para secar. Enquanto seca, prepare a massa de papel machê.

Papel Machê: pique o papel e bata no liquidificador, com água. Quando o papel estiver moído e bem misturado com a água, despeje tudo numa peneira e esprema até sair o excesso de água e ficar apenas a polpa de papel molhado. Peque um pano, coloque essa polpa e esprema para que toda água seja retirada. Repita esse processo até chegar a um volume necessário ao seu trabalho. Terminando o processo de retirada da água, coloque a polpa esfarelada em uma bacia e adicione cola grude. Misture com as mãos, até a cola aderir bem e ficar uma massa homogênea. Com a massa pronta, hora de revestir e moldar a cabeça do boneco, de acordo com sua criatividade. Moldado, coloque para secar durante 3 dias. Seco, faça um buraco na cabeça do boneco e retire o jornal e o saco. Ficará uma estrutura oca. É chegada a hora de colocar a estrutura do corpo, que pode ser feita de cabo de vassoura, para sustentar a cabeça. Em seguida, use sua imaginação para pintá-lo e caracterizá-lo. Pronto, seu boneco já pode animar as festividades de sua escola!

Cola Grude: farinha de trigo cozida no fogo. Cozinhar em fogo baixo a farinha de trigo com a água. A mistura vai engrossar como um mingau de coloração amarelada. Quando ficar uniforme está pronta.


Chamadas

Entrevistas

Maria Claudia Cardoso Ferreira

Maria Claudia Cardoso Ferreira

   Série: Pluralidade Cultural
   Tema: A política de cotas como uma ação afirmativa
   Realizada em: 09/06/2004

Twitter #saltoparaofuturo